Blog do Marcial Lima - Voz e Vez: 1ª Vara de Barra do Corda condena homens envolvidos com tráfico de drogas

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

1ª Vara de Barra do Corda condena homens envolvidos com tráfico de drogas

O juiz titular da 1ª Vara de Barra do Corda, Antônio Elias Queiroga, julgou seis homens acusados de tráfico de entorpecentes e associação para o tráfico, sendo que um deles era investigador de polícia, que teria subtraído uma certa quantia de pasta cocaína da delegacia e a substituído por barras de sabão. Os réus eram Antônio Seilando de Araújo dos Santos, Raimundo Vieira da Guia, Pedro Hugo de Sousa Ferreira, Daniel Lopes Brito, Cláudio Richardson Bandeira da Silva e Valdeíres de Sousa Silva, sendo este o único absolvido pela Justiça.

A denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual, que traz os seis homens como réus, destacou que na data de 29 de outubro de 2015, no Km 298 da BR-226, em Barra do Corda, foram presos, em flagrante, os homens Rômulo César Macedo e Leandro Matos de Castro. Com eles, foi apreendida cerca de 13 quilos e meio de pasta base de cocaína. Periciada e comprovada a natureza da substância, conforme laudo de exame químico, a pasta da droga ficou guardada no gabinete da Delegacia Regional de Polícia Civil de Barra do Corda.

Relata: “Criminosamente, a droga teria sido subtraída pelo acusado Cláudio Richardson Bandeira, agente do próprio Distrito Policial, que teria passado para o acusado Antônio Seilando. Este, de posse da substância, teria efetuado a distribuição aos demais denunciados. A pasta de cocaína foi substituída por barras de sabão para simular a manutenção do volume ali armazenado. Para tanto, teria o acusado Richardson recebido a quantia de R$ 110 mil, sendo parte em dinheiro e um veículo Fiat Strada, sendo visto constantemente transitando com este veículo”.

Segundo foi apurado, já haveria rumores de atividades ilícitas praticadas por Cláudio Richardson, entre as quais a participação em tráfico de ilícitos.

Investigação

Ao perceber que a substância havia sido subtraída da delegacia, sendo trocada por sabão, o agente Antônio José noticiou o fato ao seu superior, que iniciou as investigações por meio do inquérito policial que originou a ação. Instaurada a investigação, a polícia realizou busca domiciliar, quebra de sigilo telefônico e interceptação de ligações telefônicas de todos os acusados. Na casa dos acusados Daniel, Seilando, Raimundo e Pedro Hugo, foi encontrada significativa quantidade de drogas e outros objetos típicos do tráfico, como balança, trouxinhas de cocaína e pedras de crack.

Dos acusados, apenas Richardson e Valdeíres não confessaram os atos ilícitos, e os demais confessaram, inclusive, detalhando sobre a troca da substância que estava guardada na Delegacia de Barra do Corda. A denúncia arremata relatando que Cláudio Richardson resguardava os demais integrantes da associação criminosa, garantindo-lhes impunidade, enquanto os demais praticavam os atos e dividiam os lucros. Para a Justiça, ficou comprovado que os réus praticaram todos os atos relatados na denúncia. “As interceptações de ligação, as testemunhas, as delações premiadas corroboram o conteúdo da associação criminosa voltada ao tráfico ilícito de substâncias entorpecentes, de sorte que os acusados tinham a associação há, pelo menos, um ano”, concluiu o Judiciário.

Cláudio Richardson recebeu a pena de 15 anos e três meses de prisão, a ser cumprida inicialmente em regime fechado. Ele poderá recorrer em liberdade. Pedro Hugo recebeu a pena de 11 anos e dois meses, inicialmente em regime fechado, podendo recorrer em liberdade, mesma pena e condições imposta a Daniel Lopes Brito. Antônio Seilando de Araújo recebeu a pena de 7 anos e meio de prisão, a ser cumprida inicialmente em regime semiaberto, podendo recorrer em liberdade, mesma pena e condições impostas a Raimundo Vieira. Ficou comprovada a inocência de Valdeíres de Sousa Silva.

(Informações do TJ-MA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opine! Mas seja coerente com suas próprias ideias.