quinta-feira, 17 de abril de 2014

Lei contra milícias é aplicada a black blocs


Em meio a queixas da população e protestos contra a realização da Copa no Brasil, a presidente Dilma Rousseff usou seu discurso para os integrantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, no Planalto, para defender as obras que estão sendo feitas pelo governo, justificando que elas não serão apenas para a competição, mas que ficarão para todos. Avisou também que haverá "segurança pesada" durante o período da Copa.

"Nós botaremos segurança pesada na Copa. As nossas Forças Armadas participarão, em caráter dissuasório, e em toda retaguarda", assegurou Dilma, acrescentando que "não há a menor hipótese de o governo federal pactuar com qualquer tipo de violência. Nós não deixaremos em hipótese alguma a Copa ser contaminada".

Dilma também fez questão de responder às duras críticas apresentadas pelo representante dos Trabalhadores no Conselhão, Ubiraci Dantas de Oliveira. Em seu discurso, o presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB) afirmou que estava "curioso" para saber em que foram aplicados os investimentos de R$ 143 bilhões que o governo diz que fez em melhorias para a população.

"Porque a situação continua a mesma", disse. Oliveira destacou ainda que via com "preocupação especial" os serviços públicos, particularmente, os transportes urbanos, porque "a situação não melhorou nada".

A presidente gastou a maior parte do seu discurso, que durou pouco mais de uma hora, listando obra por obra de mobilidade urbana em vários Estados, apresentando números detalhados e destacando que as obras são um legado para o País como um todo e não apenas para a realização da Copa.

"Os aeroportos não são para a Copa só. A mobilidade urbana não é só para a Copa. O que é para a Copa? Para a Copa foram os estádios. Agora, para além da Copa, há também os estádios, todos os aeroportos, as obras de mobilidade e os investimentos em telecomunicações."

Carinho

Para Dilma, a Copa também "tem de ser confortável para as pessoas que vêm ao Brasil", Por isso, a presidente apelou para que todos sejam muito receptivos e carinhosos aos turistas que vem para fazer a "Copa das Copas". Ela comentou ainda que muitos chefes de Estado e de governo virão para o País, como a chancelar alemã, Angela Merkel, chegará no dia 16 para assistir Alemanha e Portugal, em Salvador.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Revista The Economist diz que brasileiro é improdutivo

A última edição da revista The Economist traz uma reportagem bastante crítica ao mercado de trabalho no Brasil e em especial à produtividade dos trabalhadores. Com o título "Soneca de 50 anos", a reportagem diz que os brasileiros "são gloriosamente improdutivos" e que "eles devem sair de seu estado de estupor" para ajudar a acelerar a economia.

A reportagem diz que após um breve período de aumento da produtividade vista entre 1960 e 1970, a produção por trabalhador estacionou ou até mesmo caiu ao longo dos últimos 50 anos. A paralisia da produtividade brasileira no período acontece em contraste com o cenário internacional, onde outros emergentes como Coreia do Sul, Chile e China apresentam firme tendência de melhora do indicador.

"A produtividade do trabalho foi responsável por 40% do crescimento do PIB do Brasil entre 1990 e 2012 em comparação com 91% na China e 67% na Índia, de acordo com pesquisa da consultoria McKinsey. O restante veio da expansão da força de trabalho, como resultado da demografia favorável, formalização e baixo desemprego", diz a revista.

A reportagem diz que uma série de fatores explicam a fraca produtividade brasileira. O baixo investimento em infraestrutura é uma das primeiras razões citadas por economistas. Além disso, apesar do aumento do gasto público com educação, os indicadores de qualidade dos alunos brasileiros não melhoraram. Um terceiro fator menos óbvio é a má gestão de parte das empresas brasileiras.

Há ainda a legislação trabalhista. A revista diz que muitas empresas preferem contratar amigos ou familiares menos qualificados para determinadas vagas para limitar o risco de roubos na empresa ou de serem processados na Justiça trabalhista. A revista também cita que a proteção do governo aos setores pouco produtivos ajuda na sobrevivência das empresas pouco eficientes.

A reportagem ouviu um empresário norte-americano que é dono do restaurante BOS BBQ no Itaim Bibi, em São Paulo. Blake Watkins diz que um trabalhador brasileiro de 18 anos tem habilidades de um norte-americano de 14 anos. "No momento em que você aterrissa no Brasil você começar a perder tempo", disse o dono do restaurante BOS BBQ, que se mudou há três anos para o País.

Enfermeira é detida por tentar entrar com celulares no presídio feminino

Uma enfermeira foi detida na manhã desta quinta-feira (17) após tentar entregar quatro celulares dentro do Presídio Feminino do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. 

A Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap) do Maranhão não informou o nome da enfermeira, mas informou que já foi pedido o afastamento da mulher do cargo.

Ela foi conduzida ao Plantão da Vila Embratel. Os celulares seriam entregues as detentas.

Mais uma morte no presídio

Desta vez, foi na CCPJ do bairro do Anil.

O detento Laurêncio Silva foi encontrado enforcado dentro da Central de Custódia de Presos de Justiça. 

É o quarto caso em menos de uma semana no sistema prisional da capital maranhense. A SEJAP - Secretraria de Justiça - foi avisada do crime.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Jornalista dinamarquês desiste de cobrir a Copa e deixa o Brasil

10268516 10152328234230280 4256594837710040548 n

O jornalista dinamarquês Mikkel Jensen tinha o sonho de cobrir a Copa do Mundo no Brasil, mas não o cumprirá. Segundo ele, que esteve no país desde setembro do ano passado, as mudanças praticadas no país são feitas unicamente para impressionar pessoas como ele e a imprensa internacional. "Eu sou um cara usado para impressionar", justificou, em artigo publicado em seu perfil do Facebook (e que pode ser lido abaixo).

O sonho de Jensen de assistir "o melhor esporte do mundo em um país maravilhoso" terminou a apenas dois meses do pontapé inicial. Em visita a Fortaleza, "a cidade mais violenta a receber um jogo de Copa do Mundo até hoje", o dinamarquês esteve em contato com algumas crianças de rua. Uma delas lhe ofereceu um pacote de amendoins, e o impressionou.

"Esse cara, que não tem nada, ofereceu a única coisa de valor que tinha para um gringo que carregava equipamentos de filmagem no valor de R$ 10.000 e um Master Card no bolso. Inacreditável", relatou Jensen.

O jornalista optou por deixar o país quando se deu conta de que muitas crianças em situação de rua estão desaparecendo para dar aos turistas uma imagem mais "limpa" das cidades-sede. "Eu não posso cobrir esse evento depois de saber que o preço da Copa não só é o mais alto da história em reais – também é um preço que eu estou convencido incluindo vidas das crianças", escreveu.

"Hoje, vou voltar para Dinamarca e não voltarei para o Brasil. Minha presença só está contribuindo para um desagradável show do Brasil. Um show, que eu dois anos e meio atrás estava sonhando em participar, mas hoje eu vou fazer tudo o que estiver ao meu alcance para criticar e focar no preço real da Copa do Mundo do Brasil", concluiu Jensen, que já está de volta à Dinamarca.

Leia o artigo na íntegra:

Quase dois anos e meio atrás eu estava sonhando em cobrir a Copa do Mundo no Brasil. O melhor esporte do mundo em um país maravilhoso. Eu fiz um plano e fui estudar no Brasil, aprendi Português e estava preparado para voltar.

Voltei em setembro de 2013. O sonho seria cumprido. Mas hoje, dois meses antes da festa da Copa eu decidi que não vou continuar aqui. O sonho se transformou em um pesadelo.

Durante cinco meses fiquei documentando as consequências da Copa. Existem várias: remoções, forças armadas e PMs nas comunidades, corrupção, projetos sociais fechando. Eu descobri que todos os projetos e mudanças são por causa de pessoas como eu – um gringo e também uma parte da imprensa internacional. Eu sou um cara usado para impressionar.

Em Março, eu estive em Fortaleza para conhecer a cidade mais violenta a receber um jogo de Copa do Mundo até hoje. Falei com algumas pessoas que me colocaram em contato com crianças da rua e fiquei sabendo que algumas estão desaparecidas. Muitas vezes, são mortas quando estão dormindo a noite em área com muitos turistas. Por que? Para deixar a cidade limpa para os gringo e a imprensa internacional? Por causa de mim?

Em Fortaleza eu encontrei com Allison, 13 anos, que vive nas ruas da cidade. Um cara com uma vida muito difícil. Ele não tinha nada – só um pacote de amendoins. Quando nos encontramos ele me ofereceu tudo o que tinha, ou seja, os amendoins. Esse cara, que não tem nada, ofereceu a única coisa de valor que tinha para um gringo que carregava equipamentos de filmagem no valor de R$10.000 e uma Master Card no bolso. Inacreditável.

Mas a vida dele está em perigo por causa de pessoas como eu. Ele corre o risco de se tornar a próxima vítima da limpeza que acontece na cidade de Fortaleza.

Eu não posso cobrir esse evento depois de saber que o preço da Copa não só é o mais alto da historia em reais e centavos – também é um preço que eu estou convencido incluindo vidas das crianças.

Hoje, vou voltar para Dinamarca e não voltarei para o Brasil. Minha presença só está contribuindo para um desagradável show do Brasil. Um show, que eu dois anos e meio atrás estava sonhando em participar, mas hoje eu vou fazer tudo o que estiver ao meu alcance para criticar e focar no preço real da Copa do Mundo do Brasil.

Alguns quer dois ingressos para França – Equador no dia 25 de Junho?

Mikkel Jensen - jornalista independente do Dinamarca e correspondente em Rio de Janeiro


Da revista Placar.

Câmara aprova pena de dez anos para quem faz racha

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira, 15, projeto de lei que tornam mais duras as penas por participação em rachas. A proposta, que agora vai à sanção presidencial, estabelece pena de até 10 anos de prisão para homicídio cometido por motorista que participar de racha.

A proposta amplia ainda as multas para quem praticar essa infração, igualando as penalidades à da lei seca, que pune o motorista que dirigir embriagado.

O projeto fixou a pena de detenção de 6 meses a 3 anos para quem participar de racha, mas ampliou a sanção quando isso resultar em lesão corporal grave ou morte. No caso de lesão corporal, a pena sobe de 3 a 6 anos de prisão. Ocorrendo morte por causa de racha, a pena vai de 5 a 10 anos de prisão.

O líder do PSB, Beto Albuquerque (RS), autor do projeto, afirmou, quando a matéria passou pela primeira vez pela Casa, que, com a proposta, as penas para os infratores ficarão mais altas e que colocará a legislação de trânsito brasileira na vanguarda em termos de fiscalização e redução de acidentes e mortes no trânsito.

"É a primeira vez que estamos igualando o homicídio cometido no trânsito a outras formas de assassinato. Até hoje, muitas vidas perdidas acabaram no pagamento de cesta básica. Isso vai acabar."

O projeto ainda eleva a multa para quem disputar corrida, promover ou participar de racha, utilizar o veículo para demonstrar ou exibir manobra perigosa, mediante arrancada brusca, derrapagem ou frenagem com deslizamento ou arrastamento de pneus ou forçar ultrapassagem perigosa. Todas essas ações passam a ter multas semelhantes à da lei seca, hoje em R$ 1,9 mil. Ultrapassagens pelo acostamento, pela contramão em curvas, faixas de pedestre e pontes, entre outros, passam a ser infrações gravíssimas e a ter multa de aproximadamente R$ 950.

Um dos casos citados pelo autor do projeto foi o do estudante Rafael Mascarenhas, de 18 anos, filho da atriz Cissa Guimarães, atropelado e morto em julho de 2010 por um motorista que disputava racha no Túnel Zuzu Angel, no Rio. Ele andava de skate na via interditada ao tráfego.

Fugitivo da polícia de SP é preso no bairro do Araçagi em São Luís

Foragido de SP capturado em São Luís (Foto: Divulgação / Polícia Civil)Foi preso nessa terça-feira (15), em São Luís, um fugitivo da polícia de São Paulo. Silas Batista da Silva fugiu em 2010 de um presídio na cidade de Campinas, onde cumpria pena pelo crime de sequestro. O homem, de 42 anos, usava uma identidade falsa e morava na capital maranhense há dois anos. Durante esse tempo, ele se identificava como Ricardo Aparecido Gouveia.

Em São Luís, o suspeito comprou várias mansões e foi em uma delas, no bairro do Araçagi, que ele foi encontrado. A polícia apreendeu uma pistola, munições, oito celulares, um notebook, dois carros e uma moto.

O Departamento de Investigações sobre Narcóticos ainda investiga a participação de Silas da Silva no tráfico de cocaína no Maranhão. Segundo o delegado Cláudio Mendes, o suspeito foi autuado pelo crime de posse ilegal de arma de fogo, uso de documentos falsos além do cumprimento do mandado de prisão por crime de sequestro.

Com informações da TV Mirante.

Comerciantes foram assassinados a tiros ontem à tarde em São Luís

Dois comerciantes foram assassinados a tiros ontem em São Luís. O proprietário da M.C. Materiais de Construção, Marconi da Costa Pereira, de 38 anos, foi morto com vários tiros em frente ao seu estabelecimento comercial, no Residencial Paraíso, na área Itaqui/Bacanga, e o vendedor de frutas Domingos Pereira Coelho, de 57 anos, foi executado com tiros na cabeça quando encontrava em sua banca, na Avenida Colares Moreira.

Marconi da Costa Pereira estava sentado na calçada de seu estabelecimento, na Rua São Mateus, nº 1, cerca de oito homens chegaram em uma motocicleta e um carro. Eles desceram dos veículos e dispararam vários tiros contra a vítima, que estava em companhia de um sobrinho, menor de idade, que não foi atingido.

Os peritos do Instituto de Criminalística (Icrim) informaram que encontraram perfurações de armamento de calibre 380 e 22, na coxa direita, tórax, crânio, nas costas e no ombro direito da vítima. O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal e, até o fechamento desta edição, ainda não tinha sido liberado para os familiares.

O delegado do 16º Distrito Policial, Danilo Veras, explicou que ainda vai ouvir as testemunhas e familiares do empresário para definir a estratégia da investigação. A polícia ainda não tem informações sobre os autores do crime.

Laranjeiro – Já o vendedor de frutas Domingos Pereira Coelho, conhecido como o Laranjeiro, de 57 anos, foi morto ontem com três tiros na cabeça desferidos por dois homens ainda não identificados pela polícia, em frente a sua barraca, localizada na Avenida Colares Moreira, no São Francisco, nas proximidades do supermercado Bom Preço. A polícia não soube informar a causa do homicídio.

Deilson Silva, de 29 anos, que estava com a vítima no momento do crime, disse que os dois homens chegaram ao local em uma motocicleta Honda preta, de placa não identificada. Um deles desceu da moto e desferiu um tiro na cabeça do vendedor e quando a vítima estava no chão efetuou mais dois tiros também na cabeça.

Logo após, a dupla saiu com a moto em alta velocidade, tomando rumo ignorado. A polícia foi acionada, mas não conseguiu prender os suspeitos, apesar das rodas feitas na área. O corpo do comerciante foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), no Bacanga, e o caso será investigado no 9º Distrito Policial, no São Francisco.

Da editoria de Polícia de O Estado.

Morre Expedito Alves de Melo, fundador do Cest e da Apae São Luís

O mentor da Faculdade Santa Terezinha (Cest) e fundador da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Expedito Alves de Melo, de 82 anos, faleceu na tarde de ontem, no Hospital São Domingos, em São Luís, vítima de infarto, enquanto se submetia a procedimento cirúrgico.

De acordo com familiares, o corpo de Expedito Alves está sendo velado, desde a noite de ontem, na Central de Velórios da Pax União (Canto da Fabril) e o sepultamento acontecerá hoje, às 17h, no Cemitério Parque da Saudade, no bairro Vinhais. A direção do Cest decretou luto oficial de três dias e suspendeu as atividades acadêmicas da instituição, que serão retomadas terça-feira (22).

Nascido no município piauiense de Alto Longá, advogado de formação e pós-graduado em Semiologia Política, com ênfase em Direito, Democracia e Constituinte, Expedito Alves se mudou, ainda jovem, para São Luís, onde fez carreira. Além de fundar o Cest e a Apae, Expedito Alves também lecionou no curso de Direito da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e estava aposentado. Quando completou 80 anos, em 2011, Expedito Alves escreveu a própria história de vida no livro Fragmentos da História da Minha Vida.

De acordo com o genro da vítima, o empresário Vanderlan Rolim, Expedito Alves foi um exemplo de amor à vida e à profissão. " Além de ter contribuído para a educação desse estado, era uma pessoa boa e que procurava sempre ajudar os outros. Também era uma pessoa que não se cansava em compartilhar seus conhecimentos, adquiridos ao longo da vida e suas histórias", disse.

Expedito Alves deixa esposa (Antonia Zeile Lima de Melo), com quem teve cinco filhos (Felipe, Raimundo Alberto, Galeana - in memoriam - Eliana e Maria da Conceição).

terça-feira, 15 de abril de 2014

Idoso abre fogo contra família por causa de vazamento de água

João da Silva, de 65 anosJoão da Silva, de 65 anos, é procurado pela polícia na região de Ribeirão Preto (SP).

Ele é suspeito de abrir fogo contra quatro pessoas, entre elas uma criança, por causa de um vazamento de água.

O principal alvo de João, que tem um bar na cidade, era Abel Lopes, de 40 anos. A vítima, atingida no peito, mora do lado do boteco de João.
A criança baleada no braço é Artur, filho de Abel. O menino tem sete anos.

Avó de Artur, Isabel Bueno Lopes tem 65 anos. Ela foi atingida na cabeça.

Isabel precisou ser socorrida pelo Samu. A quarta vítima é um funcionário de uma empresa de TV a cabo que trabalhava no local do crime. Ele foi atingido por uma bala perdida.

Após o crime, a polícia cercou as ruas da cidade na tentativa de encontrar João, mas o comerciante desapareceu. Ali, foram encontrados quatro cápsulas de bala deflagradas e uma intacta.

A mulher de João disse que ele nem sabia atirar, mas que andava nervoso por causa do problema de vazamento. Segundo a mulher do suspeito, a infiltração têm danificado o boteco de João.

Há também rachaduras. Ela diz que o comerciante tentava resolver o problema havia cinco anos. O caso, segundo a mulher de João, está na Justiça.

FONTE: r7

Duzentos e trinta detentos são beneficiados pela Justiça com saída provisória

Duzentos e trinta apenados foram beneficiados com a saída temporária no feriado da Semana Santa, segundo a Corregedoria Geral de Justiça do Maranhão. A medida foi autorizada por meio da portaria assinada pelas juízas Ana Maria Almeira Vieira e Sara Fernanda Gama, titular e auxiliar da 1ª Vara de Execuções Penais de São Luís, respectivamente.

A saída dos beneficiados aconteceu após reunião designada pela portaria para as 10h da manhã desta terça-feira (15), que servirá para repassar advertências, esclarecimentos complementares e assinatura de termo de compromisso pelos presos. O retorno deve acontecer até as 18h do dia 21 de abril.

As saídas temporárias têm base na Lei de Execuções Penais (artigos 122 a 125). De acordo com a LEP, “a autorização será concedida por ato motivado do juiz da execução, ouvidos o Ministério Público e a Administração Penitenciária e cumpridos os seguintes requisitos: comportamento adequado; cumprimento mínimo de um sexto da pena, se o condenado for primário, e um quarto, se reincidente; compatibilidade do benefício com os objetivos da pena”.

Durante o período do benefício, os internos contemplados com a saída temporária não podem se ausentar do Estado, ingerir bebida alcoólica, portar armas, frequentar festas, bares ou similares, devendo se recolher às suas residências até as 20h.

De acordo com a portaria, os apenados estão autorizados a “visitar os familiares em comemoração à Semana Santa” com base na Lei de Execuções Penais (artigos 122 a 125).

Na lista, estão os detentos que cumprem os seguintes requisitos: comportamento adequado, cumprimento mínimo de um sexto da pena se o condenado for primário, e um quarto se reincidente, compatibilidade do benefício com os objetivos da pena.

Com o texto de O Imparcial.

52 tijolos de maconha apreendidos



A prisão foi feita na Vila São José;  o conduzido trata -se de Carlos Alessandro Teixeira, 23 anos, avenida 07, quadra 55, casa 27,  Paranã. 


Ele estava trafegando na festa com o carro de placa NHO 4296. Os 52 tijolos de maconha estavam dentro de duas malas no interior do veículo, que está no plantão central da Cidade Operária para procedimentos

Terceiro detento é encontrado morto em menos de três dias em Pedrinhas

O detento André Valber Mendes, 26 anos, foi encontrado morto no pavilhão delta do CDP (Centro de Detenção Provisória), o Cadeião de Pedrinhas. O ocorrido foi na noite dessa segunda-feira, 14 de abril.

Foi o terceiro preso morto em menos de três dias no sistema prisional da capital maranhense. Os outros fatos foram na CCPJ de Pedrinhas e no presídio São Luís I (sábado e domingo). 

Mais informações da noite

Policias do Batalhão de Choque da PM apreenderam na Vila São José, em Paço do Lumiar, 52 tijolos de maconha. 

Carlos Alessandro Ferreira, 23 anos, foi preso e encaminhado para o plantão da Cidade Operária. Ele  é morador do Paranã. 

O acusado transportava a droga dentro de duas malas no veículo Fiesta preto de placa NHO- 4296. O caso será investigado agora pela Polícia Civil.

Agente penitenciário é preso pela PM

A prisão foi na avenida Daniel La Touche,  Cohama. Igor Leonardo Nunes, agente penitenciário, lotado no sistema prisional da capital maranhense, foi preso com sinais de embriaguez. Agora, segundo a PM, dirigia uma camionete. 

Dentro de veículo, os policiais da ROTAM localizaram uma pistola 380 com 131 munições. O agente penitenciário foi levado para o plantão da Reffsa no centro de São Luís. 

A PM confirma ainda que Igor transportava dentro da camionete 50 cartuchos de uma arma calibre 38. A pistola 380 está com o registro vencido. Esta arma está no nome de um outro agente penitenciário, identificado como Guimarães, que seria lotado no GTA. 

Igor Leonardo Nunes foi levado para o IML para fazer o exame de dosagem etílica.  São informações da Polícia Militar do Maranhão.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Custo do investimento no Brasil registra queda

Investir no Brasil ficou mais barato, segundo o Ministério da Fazenda. Estudo técnico preparado pelo órgão aponta que, entre 2012 e 2013, o preço relativo do investimento caiu 2,6%. Do pico, atingido em 2004, até o ano passado, o custo de se investir no País caiu quase 14%.

Isso é resultado, principalmente, das desonerações de tributos concedidas a empresas de diversos setores, em especial para os fabricantes de máquinas e equipamentos e o segmento de construção civil. Além disso, a criação de linhas especiais de crédito, como o Programa de Sustentação do Investimento (PSI) do BNDES e da Finep, e outras mudanças microeconômicas no mercado financeiro têm permitido, no geral, um barateamento do investimento no País.

O levantamento do Ministério da Fazenda aponta que o deflator do PIB aumentou 7,69% em 2013, enquanto o deflator dos investimentos subiu bem menos, 4,83%. O deflator é um cálculo de inflação específico para cada indicador. Em outras palavras, os dados mostram que a inflação para o empresário foi menor do que para o conjunto da economia em 2013.

Isso tudo, no entanto, não fez o investimento aumentar tanto. Segundo as contas nacionais do IBGE, a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), que contabiliza os gastos com máquinas e equipamentos e também construção civil, atingiu 18,4% do PIB em 2013, ante 18,2% do PIB em 2012. Os melhores indicadores da série, iniciada em 1995, foram obtidos em 2008 (19,1% do PIB), 2010 (19,5%) e 2011 (19,3%), quando o preço relativo do investimento era mais alto do que agora.

Confiança. Segundo críticos da política econômica do governo Dilma Rousseff, a queda no custo do investimento no País é inegável, mas o fenômeno só terá efeito de impulsão da taxa de investimento quando o empresário confiar que haverá crescimento sustentável por um período prolongado. Já o governo avalia que as medidas de redução de custos para o empresário brasileiro investir começaram a surtir efeito nos dois últimos anos, e em especial em 2013.

"A crise mundial reduziu drasticamente os nossos mercados para exportação, ao mesmo tempo que freou o ritmo interno de crescimento. Mas a taxa de investimento aumentou no ano passado, e em parte, é possível dizer que isso se deu graças à redução do custo de se investir", afirmou o secretário de Política Econômica (SPE) do Ministério da Fazenda, Márcio Holland.

Autor do estudo sobre o preço relativo do investimento, Holland defende as diversas medidas tomadas pelo governo desde 2011. Segundo ele, o aumento de 6,3% da FBCF no ano passado foi resultado direto dessas medidas.

No grupo das 20 maiores economias do mundo, o G-20, o avanço da taxa de investimento em 2013 no Brasil ficou atrás somente dos expressivos 19,6% de alta na China. Países em patamar de desenvolvimento semelhante ao do Brasil registraram elevações muito inferiores, como África do Sul (4,7%) e Turquia (4,1%).

"O investimento ficou mais barato, e isso terá efeito em cascata, aos poucos, ficando evidente no médio prazo", afirmou Holland, para quem a melhora da logística é a próxima fronteira para barateamento dos investimentos no País. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.